Gravidez em Confinamento

Logo após a emergência do surto de SARS-CoV-2, todos os países adoptaram medidas de contenção da doença, que invariavelmente têm repercussões no seguimento de determinadas patologias nos serviços de saúde, e também no seguimento da gravidez.


Além do impacto nas vigilâncias, da não presença de acompanhante nas consultas, exames e/ou parto, de todo o contexto de calamidade em que se encontram os serviços de saúde, existem condicionantes sociais inegáveis.



Neste período especial da vida da mulher, pode não ser fácil lidar com as medidas durante o confinamento, o isolamento social necessário, a necessidade de reforçar as medidas de higiene, a nova dinâmica de trabalho e familiar decorrente do fecho das escolas e da modalidade de teletrabalho.


Um estudo realizado na Jordânia publicado há 3 meses atrás apura um impacto significativo da COVID-19 no seguimento das gravidezes e também na alimentação, estilo de vida, níveis de ansiedade e expectativas da grávida.


Assim, elaborámos uma lista de conselhos para quem está de esperanças em plena pandemia.



Protecção face à COVID-19 e outras infecções respiratórias


À parte de raros casos em todo o mundo, os estudos excluem a hipótese de transmissão vertical da COVID-19 (passagem do vírus através da placenta da mãe para o bebé). Também não existem relatos significativos de malformações fetais atribuíveis a esta infecção, embora hajam mais partos pré-termo. Para a mãe, há um risco maior de descompensação da doença, com maior número de admissão de grávidas nos cuidados intensivos do que os indivíduos comuns. Assim sendo, todo o cuidado é pouco, e o que é aconselhado à grávida é que redobre as medidas de protecção.


- Evite contacto com pessoas com sintomas suspeitos de COVID-19 (tosse, febre, dificuldade respiratória).


- Caso algum coabitante tenha sintomas respiratórios, este deverá reforçar a etiqueta respiratória.


- Frequente transportes públicos e outros locais públicos com elevada concentração de pessoas apenas quando estritamente necessário.


- Evite reuniões presenciais. Abuse da tecnologia existente para se manter em contacto com amigos e família.


- Vacine-se contra a gripe. No período da gravidez está mais imunodeprimida. Tomando esta vacina, tem menos algumas hipóteses de iniciar sintomas respiratórias que motivem realização de testes e isolamento profiláctico.


- Faça um babyshower via zoom, faça um anúncio de gravidez em vídeo ou postal, faça aulas de preparação para o nascimento online, participe em grupos online de mães para estar a par das novidades tecnológicas para as grávidas durante a pandemia.


Nutrição e Estilo de Vida


A pandemia veio trazer algum desleixe na alimentação durante os períodos de confinamento. O excesso de peso e obesidade são factores de risco para ter formas mais graves da doença COVID-19, e por este motivo é importante manter-se activa, realizar actividade física e ter cuidado com a alimentação.

.

- Garanta um aporte adequado de fruta e vegetais, que a mantêm saciada e fornecem vitaminas e minerais importantes para a gravidez.


- Uma forma simples de manter a saciedade é ter sempre em cada refeição uma fonte de proteína: ovos, derivados do leite, carne, peixe, leguminosas, entre outros.


- Evite sempre que possível os açúcares refinados que a deixarão com fome em pouco tempo

- Acrescente gorduras saudáveis como azeite, frutos secos, peixe gordo e abacate.


- Se já praticava actividade física, continue. Se não, comece. Caminhar é excelente e ajuda a manter-se em forma durante a gravidez, além de ser um bom exercício se estiver em confinamento. Aulas online de yoga e pilates para grávidas também são uma excelente opção para tonificar os músculos, de forma a manter a sua composição corporal saudável e otimizar a recuperação do corpo após o parto.


- Reforço hídrico. Já deve ter ouvido isto muitas vezes mas é a mais pura das verdades. Beber água em quantidade suficiente para as suas necessidades reduz os edemas e dores de cabeça e mantém o estômago saciado ao longo do dia. Pode beber chá, água aromatizada, enfim…mas beba!

Lidar com a ansiedade


Vários estudos foram feitos no âmbito da ansiedade da grávida durante o confinamento e a conclusão é unânime: existem, de facto, maiores níveis de ansiedade. Num estudo na Jordânia, 44% das inquiridas relataram estar mais aborrecidas, 42% sentiam-se tristes ou deprimidas e 15% relatam sintomas de raiva e angústia.


- Experimente aulas de yoga e meditação, que a ensinam a respirar de forma consciente e a sentir-se mais calma. Faça yoga de manhã e meditação à noite, antes de dormir.


- Ouça música positiva, veja filmes e séries alegres e mantenha-se em contacto com os seus amigos e familiares através das novas tecnologias.


- Mantenha-se informada mas filtre a quantidade e qualidade de informação que recebe em casa. Estar sempre a ouvir notícias sobre pandemia, política e economia nesta fase vai deixa-la mais angustiada.

Não é fácil, estou solidária para consigo. A gravidez é um momento lindo na vida de uma mulher, merece ser vivido com optimismo e alegria.


Os meus parabéns, futura mamã, pela ousadia de gerar vida e colocar mais esperança num planeta em sofrimento.


Não tarda nada teremos os bebés COVID cá fora, autênticos resistentes, e as suas mães, autênticas heroínas. Melhores dias virão…com o seu bebé ao lado.



#metamorfose #clinicametamorfose #dracatarinasantos #gravidez #covid #confinamento

98 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo